Seniores já viram exposições fotográficas

Três grupos de seniores, num total de 120 pessoas, viram antecipadamente as quatro exposições fotográficas que serão inauguradas hoje às 18h30 e que com o cocktail de comidas do Mundo marcam o arranque da 8ª edição do Festival TODOS.

Envolvidos na actividade praia-campo da Junta de Freguesia de Arroios, estes três grupos tiveram oportunidade de ver as instalações do antigo Palácio do Patriarcado e as exposições de Luís Pavão, Paolo Longo, Maurizio Agostinetto e Rosa Reis.

Publicado por Festival TODOS às 08-09-2016 15:55

Labels: Exposições Fotografia Maurizio Agostinetto Rosa Reis Luís Pavão Paolo Longo Antigo Palácio do Patriarcado Seniores Junta de Freguesia de Arroios


O TODOS já começou para as escolas

Através da Oficina de Penas, uma actividade da SALA COM PÁSSAROS, o Festival TODOS começou mais cedo, logo pela manhã, para dezenas de miúdos das escolas, que, distribuídos por três sessões, experimentam a sensação de criar com penas de pássaros.


Hoje, estiveram de volta de capas de livros e de folhas de papel alunos das escolas EB1 Lisboa, EB1 Sampaio Garrido, Fundação D. Pedro IV e EB1 S. José. Amanhã, ainda haverá oportunidade para os miúdos do Jardim de Infância da Pena e do Jardim de Infância dos Anjos experimentarem a oficina orientado por Mina Anguelova.

SALA COM PÁSSAROS
9, 10 e 11 SET – 14h00 às 20h00
Um espaço debaixo das árvores para descansar, ler livros de viagens, tomar notas pessoais e descobrir jogos do mundo. Uma sala para repousar na relva e ouvir os risos das crianças a brincar com as penas que se soltaram dos pássaros, voando para dentro de cadernos.

10 e 11 Set | 15h30 às 18h30
Oficina de Penas com Mina Anguelova Bulgária
Mina Anguelova vai pintar capas de livros com penas dos pássaros do Jardim do Campo dos Mártires da Pátria.

Publicado por Festival TODOS às 08-09-2016 12:09

Labels: Sala com Pássaros Oficina das Penas Escolas Mina Anguelova Jardim do Campo dos Mártires da Pátria Jardim do Campo Santana


Fotografia, teatro e música a abrir o TODOS 2016

Amanhã, quinta-feira, dia 8, é dia de inauguração: às 18h30 é servido um cocktail de comidas do Mundo e abre-se o pano de quatro exposições fotográficas que ficarão patentes no antigo Palácio do Patriarcado até ao final da 8ª edição do Festival TODOS (11 de Setembro). Mas o primeiro dia também tem teatro, teatro culinário e música.

Fotografia
Curadoria: Maurizio Agostinetto e Giacomo Scalisi, com a colaboração de Carina Martins
8 SET – 18h30 Inauguração acompanhada de cocktail de sabores do mundo
9, 10 e 11 SET – 14h00 às 20h00
Antigo Palácio do Patriarcado – Campo Mártires da Pátria, nº45

O Teatro Quotidiano na China
Paolo Longo
ITÁLIA
Uma “viagem do coração” feita pela vida quotidiana do povo chinês no momento em que se deu o “boom” económico e a grande transformação social e cultural da China.
Em colaboração com Istituto Italiano di Cultura


Os nossos corpos leves como fotografias
Maurizio Agostinetto
ITÁLIA
Enquanto o Festival se prepara no espaço imaginário da sua realização, momentos aparentemente insignificantes fazem também parte do tecer da sua história.
Em colaboração com Istituto Italiano di Cultura


TODOS POR janelas de vida
Rosa Reis
PORTUGAL
O quotidiano nem sempre é transparente. Por vezes, mesmo a preto e branco, ganha o sabor da festa.


Retratos de famílias
Luís Pavão
PORTUGAL
O retrato é para uns muito significativo na preservação da memória identitária e para outros um momento em que se pode perder a alma… Estes retratos de famílias chinesas e de famílias interculturais mostram como Lisboa é hoje um dos espaços urbanos mais cosmopolitas do mundo. Uma cidade cheia de cor e contradições. De diversidade e de união.
Uma família é sempre uma família, com tudo o que ela contém. Estejamos onde estivermos. O nascimento, a identidade, o clã, as várias fases da vida, o prenúncio subtil do seu fim.


Teatro Culinário
PIKNIK HORRIFIK 
Laika
BÉLGICA
8, 9, 10 e 11 SET – 20h00
[duração 90min] M/6
Antigo quartel da GNR – Largo Cabeço da Bola

Super produção a partir do misterioso quadro “O Jardim das Delícias Terrenas”, de Hieronymus Bosch. Um espaço desolado transforma-se em lugar de êxtase, onde o espectador é tentado por prazeres celestiais e exuberantes. Uma paródia muito séria sobre produção, consumo, desperdício, e a decadente superabundância das sociedades ocidentais.

Terrifying, mysterious and yet irresistibly beautiful, Hieronymus Bosch’s 'The Garden of Earthly Delights’, is the starting point of this great culinary theatre production: a nightmarish vision designed to encourage man to lead a virtuous life. The renowned Belgian company Laika transforms a desolate spot into one of supreme bliss where the spectator is tempted by heavenly pleasures. A very serious parody about production, consumption and waste, and the decadent superabundance that characterizes modern-day Western society.

Conceito: Peter De Bie, Bruno Herzeele & Elke Thuy, Michiel Soete
De e com: Alain Rinckhout, Anton Van Haver, Arnout Vandamme, Bram Smeyers, Britt De Jonghe, Bruno Herzeele, Célia Fechas, Elke Thuy, Jo Roets, Marlies Jacques, Michiel Soete, Mieke Versyp, Peter De Bie, Pieter Smet, Piet Van Deun, Rik Van Gysegem, Sara Dykmans, Silke Melis

Voluntários para popular o Céu e o Inferno: Alice Duarte, Beatriz Dias, Gonçalo Pinela, Gustavo Rebelo, Juliana Fernandes, Margarida Garcez, Maria Luís Cardoso, Matilde Tudela, Patrícia Gomes, Susana Mendonça

Laika em coprodução com: Le Volcan, scène nationale du Havre, Theaterfestival Boulevard/Jheronimus Bosch 500's, Hertogenbosch et Cultura Nova, Heerlen
Em colaboração com a Escola de Hotelaria de Lisboa

NOTA: Participação limitada a 160 pessoas por sessão. Participação mediante reserva para festival.todos.reservas@gmail.com (válida se na reserva for incluído um número de telefone) – ou, em alternativa, através do nosso número de telefone 968 911 880. 
Levantamento de senha no local, 1h00 antes do início do evento. Máximo de 2 reservas/senhas por pessoa.


Teatro
Ocidente
Victor Hugo Pontes
Portugal
8, 10 e 11 SET – 21h00 | 9 SET – 21h30
[duração 60min] M/16
Escola Secundária de Camões – Praça José Fontana / Rua Eng. Vieira da Silva
A partir da peça homónima do dramaturgo francês Rémi De Vos, Ocidente disseca até ao osso a célula matricial da nossa sociedade – o casal, a família –, tomada como um microcosmos do “ocidente”. Misérias humanas, devaneios do quotidiano, esperanças perdidas: uma batalha de vida e morte entre dois seres entrincheirados que revelam uma necessidade absoluta, quase animal, de triunfar sobre o outro.

A couple’s downfall as a microcosms of what we designate as west. Human miseries, daily reveries, lost hopes: a battle of life and death between two entrenched beings, who reveal an absolute and nearly animal need to triumph over one another. [spoken in Portuguese]

Ocidente, peça do dramaturgo francês Rémi De Vos, disseca até ao osso o drama de um casal em desagregação. Concentrando-se na célula matricial da nossa sociedade – o casal, a família –, e tomando-a como um microcosmos daquilo que nos habituámos a designar por “Ocidente”, este texto evoca pequenas misérias humanas, devaneios do quotidiano, esperanças perdidas. Victor Hugo Pontes encena aqui uma batalha de vida e morte entre dois seres perdidos e entrincheirados, que revelam uma necessidade absoluta, quase animal, de triunfar sobre o outro. Maria do Céu Ribeiro e Pedro Frias dão corpo e voz à arte do diálogo de Rémi De Vos, mecânica de uma precisão implacável, onde nem sequer o riso (nervoso, irónico) falta. Ocidente proporciona a Victor Hugo Pontes uma oportunidade para se centrar no trabalho de ator e investir na pesquisa sobre a palavra e a sua tantas vezes perturbadora força emocional.

OCIDENTE de Rémi De Vos
Tradução: Regina Guimarães
Encenação: Victor Hugo Pontes
Cenografia: F. Ribeiro
Desenho de luz: Wilma Moutinho
Operação de luz: Alexandre Vieira
Desenho de som: Luís Aly
Piano: Pedro Frias
Interpretação: Maria do Céu Ribeiro, Pedro Frias
Produção: Nome Próprio
Produção executiva: Joana Ventura
Co-produção: Ao Cabo Teatro, As Boas Raparigas, Centro Cultural Vila Flor
Apoio Residência Artística: O Espaço do Tempo
Projecto financiando pela Secretaria de Estado da Cultura – Direcção Geral Das Artes

NOTA: Participação limitada a 140 pessoas. Levantamento de senha no local, 1h00 antes do início do evento. Máximo de 2 senhas por pessoa.


Música
Latinidade
Orquestra Transcultural Lisboeta
ARGENTINA / BRASIL / ESPANHA / GRÉCIA / ITÁLIA / PORTUGAL
8 SET – 22h30 [duração 80min] M/6
Jardim do Torel – Rua Júlio de Andrade
Na Lisboa multicultural nasce a Orquestra Latinidade, onde as culturas não são somente postas uma ao lado da outra, mas coexistem, influenciam-se com os seus sotaques e dão origem a uma nova linguagem.

Alberto Bucucci: acordeão
Diogo Duque: trompete
Diogo Picão: saxofone
Francesco Valenti: baixo
Gustavo Roriz: viola caipira
Mili Vizcaíno Jaén: voz
Nicolás Farruggia: voz e violão
Timoteo Grignani: percussão
Entidade promotora: LARGO Residências


Publicado por Festival TODOS às 07-09-2016 17:16

Labels: Fotografia Rosa Reis Maurizio Agostinetto Luís Pavão Paolo Longo Giacomo Scalisi Carina Martins Teatro Teatro culinário Piknik Horrifik Antigo Palácio do Patriarcado Antigo quartel da GNR Companhia Laika Ocidente Victor Hugo Pontes


Quem cede à gula de Piknik Horrifik?

A Companhia Laika intima os espectadores a comparecerem a um grande espectáculo de teatro culinário. Mas não é só o que vem no prato que vai mexer com os sentidos: convocando Bosch para o palco, entre o paraíso e o inferno vão-se questionar alguns dos pilares em que assenta a civilização Ocidental.

Teatro Culinário
PIKNIK HORRIFIK 
Laika
BÉLGICA
8, 9, 10 e 11 SET – 20h00
[duração 90min] M/6
Antigo quartel da GNR – Largo Cabeço da Bola

Super produção a partir do misterioso quadro “O Jardim das Delícias Terrenas”, de Hieronymus Bosch. Um espaço desolado transforma-se em lugar de êxtase, onde o espectador é tentado por prazeres celestiais e exuberantes. Uma paródia muito séria sobre produção, consumo, desperdício, e a decadente superabundância das sociedades ocidentais.

Terrifying, mysterious and yet irresistibly beautiful, Hieronymus Bosch’s 'The Garden of Earthly Delights’, is the starting point of this great culinary theatre production: a nightmarish vision designed to encourage man to lead a virtuous life. The renowned Belgian company Laika transforms a desolate spot into one of supreme bliss where the spectator is tempted by heavenly pleasures. A very serious parody about production, consumption and waste, and the decadent superabundance that characterizes modern-day Western society.

Conceito: Peter De Bie, Bruno Herzeele & Elke Thuy, Michiel Soete
De e com: Alain Rinckhout, Anton Van Haver, Arnout Vandamme, Bram Smeyers, Britt De Jonghe, Bruno Herzeele, Célia Fechas, Elke Thuy, Jo Roets, Marlies Jacques, Michiel Soete, Mieke Versyp, Peter De Bie, Pieter Smet, Piet Van Deun, Rik Van Gysegem, Sara Dykmans, Silke Melis

Voluntários para popular o Céu e o Inferno: Alice Duarte, Beatriz Dias, Gonçalo Pinela, Gustavo Rebelo, Juliana Fernandes, Margarida Garcez, Maria Luís Cardoso, Matilde Tudela, Patrícia Gomes, Susana Mendonça

Laika em coprodução com: Le Volcan, scène nationale du Havre, Theaterfestival Boulevard/Jheronimus Bosch 500's, Hertogenbosch et Cultura Nova, Heerlen
Em colaboração com a Escola de Hotelaria de Lisboa

NOTA: Participação limitada a 160 pessoas por sessão. Participação mediante reserva para festival.todos.reservas@gmail.com (válida se na reserva for incluído um número de telefone) – ou, em alternativa, através do nosso número de telefone 968 911 880. 
Levantamento de senha no local, 1h00 antes do início do evento. Máximo de 2 reservas/senhas por pessoa.

Publicado por Festival TODOS às 07-09-2016 11:27

Labels: Teatro Teatro culinário Piknik Horrifik Companhia Laika Antigo quartel da GNR


Visitas guiadas: quinta e sexta-feira entusiasmantes

Na quinta e sexta-feira fica-se logo com uma ideia da forte resposta do Festival TODOS ao enorme entusiasmo com que o público afluiu às visitas oferecidas na edição anterior - há um programa mais completo e que se estende à História, à Sociologia e à Arquitetura.

Haverá oportunidade de rever alguns lugares marcantes da História da Colina, como o Convento da Encarnação e a Academia Militar; mas também novos pontos notáveis a descobrir passeando, como o Instituto de Medicina Legal e Ciências Forenses (e o seu Núcleo Museológico).

ACADEMIA MILITAR 
Coronel Victor Lourenço
9 SET – 14h30 [duração 90min]
Paço da Rainha
Uma viagem ao passado para conhecer o Paço da Rainha D. Catarina de Bragança, viúva do rei Carlos II de Inglaterra e grande fundadora da tradição do chá em Portugal, bem como a atual Academia Militar e magníficos espaços que se sucederam em usos ao longo da história: o Salão Nobre, Sala do Conselho, Museu Militar, Biblioteca e Capela Real, reconhecida pelo sumptuoso trabalho barroco de talha em madeira. No final da visita, será servido um Earl Grey para percorrer os aromas de Ceilão que povoam Lisboa.

A trip to the past to the famous Paço da Rainha, former home to Queen Catarina de Bragança, widower to Charles the 2nd of England, great founder of the tea tradition in Portugal. Being the military academy at present times we will visit its magnificent spaces that had multiple uses over the years: the Noblemen Room, the Council Room, the Military Museum, the Library and the Royal Chapel, known for its baroque wood work. At the end we will serve an Earl Grey to let the air of Ceilan nourish our senses.

NOTA: Participação limitada a 25 pessoas. Levantamento de senha no local, 1h00 antes do início do evento. Máximo de 2 senhas por pessoa.

INSTITUTO NACIONAL DE MEDICINA LEGAL E CIÊNCIAS FORENSES - NÚCLEO MUSEOLÓGICO 
Manuela Marques
9 SET – 17h30
[duração 30min]
Rua Manuel Bento de Sousa, nº3
Uma cadeira, uma tesoura, uma nota de quinhentos escudos, o desenho de um índio, são alguns dos objetos que se podem encontrar no núcleo museológico da delegação do sul do inmlcf, ip, inaugurado em 2004.  As histórias que envolvem estes objetos e a medicina legal são o ponto de partida para a visita guiada a decorrer neste espaço e integrada no festival todos.

NOTA: Participação limitada a 20 pessoas. Levantamento de senha no local, 1h00 antes do início do evento. Máximo de 2 senhas por pessoa.

CONVENTO DA ENCARNAÇÃO DA ORDEM DE AVIS
André Silva (historiador)
9 e 11 SET  – 18h00
[duração 60min]
Largo do Convento da Encarnação
Em 1577, morria a Infanta D. Maria, filha de D. Manuel I, a “sempre noiva”. Deixou como vontade a construção de um convento feminino, beneditino, dedicado à Encarnação. No entanto, a Batalha de Alcácer-Quibir e a Dinastia Filipina atrasam a sua construção até ao século XVII. O convento é entregue à Ordem de Avis, tendo sido habitado  por senhoras de alta linhagem, familiares dos cavaleiros da ordem. 

The Convent is connected with princess D. Maria, daughter of D. Manuel I, who died in 1577, known as “forever bride”. Her wish was that a female convent was to be constructed, dedicated to the holy incarnation. The battle of Alcácer-Quibir and the dynasty of Filipes (Spanish kings) withheld this wish until the seventeenth century. The convent would be given to Ordem de Avis and inhabited by noble ladies, relatives of these noble and war men.

NOTA: Participação limitada a 30 pessoas. Levantamento de senha no local, 1h00 antes do início do evento. Máximo de 2 senhas por pessoa.

Publicado por Festival TODOS às 06-09-2016 16:39

Labels: VISITAS GUIADAS ACADEMIA MILITAR Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses - Núcleo Museológico Convento da Encarnação da Ordem de Avis


Acordeões animam enfermarias do Hospital dos Capuchos

Michel e Rini Luyks vão animar as enfermarias do Hospital dos Capuchos no domingo a partir das 13h00 com os seus acordeões. Os músicos vão levar uma mensagem de esperança aos doentes no dia em que a Capela do hospital recebe o concerto dos Violons Barbares (Saulem'ai Tour, 18h00 - entrada livre).

A organização do Festival TODOS esteve hoje no Hospital dos Capuchos a divulgar estas iniciativas junto dos pacientes e dos profissionais que ali trabalham.

Publicado por Festival TODOS às 06-09-2016 15:07

Labels: música Acordeões Michel Rini Luyks Hospital dos Capuchos


Os mistérios fotografados por Duarte Belo

Esta mostra de cinco fotografias apresentadas em grande formato integra por um período a paisagem urbana da cidade e desponta a curiosidade sobre este território, ainda misterioso para muitos lisboetas.

Fotografia de Arquitetura
Os conventos/hospitais da Colina de Santana
Duarte Belo PORTUGAL
Em permanência
Jardim do Torel – Passeio do Torel
Partindo de um extenso espólio de fotografias documentais sobre o património edificado dos Hospitais da Colina de Santana, antigos conventos, esta mostra de cinco fotografias apresentadas em grande formato, integra por um período a paisagem urbana da cidade e desponta a curiosidade sobre este território, ainda misterioso para muitos lisboetas.

Publicado por Festival TODOS às 06-09-2016 12:51

Labels: Fotografia Fotografia de arquitetura os conventos/hospitais da Colina de Santana Duarte Belo Jardim do Torel - Passeio do Torel


O círculo da memória ao vivo de dois clowns

O humor e a música são as duas constantes neste espectáculo. Estes dois clowns exploram a memória através do vídeo para explorar o que somos e como queremos mostrar-nos com muitas peripécias pelo meio.

Novo Circo / Teatro Musical Clownesque
BOBINES
L’Attraction Céleste FRANÇA
9 SET – 21h00 | 10 SET – 20h30 | 11 SET – 17h00 
[duração 60min] M/8
Academia Militar – Rua Gomes Freire

Bibeu e Humphrey, dois clown músicos, querem partilhar vídeos da sua vida clownesca com o público, sentado em círculo. Memórias, testemunhos, imagens recolhidas ou fabricadas no local e em direto: a dupla experimenta através de objectos visuais poéticos a relação entre o que somos e como queremos mostrar-nos. Momentos cheios de humor e de peripécias, com a música sempre presente.

Bibeu and Humphrey want to share their life experiences. Memories, testimonies and images are collected and deviced live and on spot: the couple essays through poetical visual objects the relation between what we are and how we want to be displayed.

Criação e Interpretação: Servane Guittier e Antoine Manceau

NOTA: Participação limitada a 200 pessoas por sessão. Levantamento de senha no local, 1h00 antes do início do evento. Máximo de 2 senhas por pessoa.

Publicado por Festival TODOS às 06-09-2016 10:57

Labels: Novo Circo Teatro Musical Clownesque Bobines L’Attraction Céleste ACADEMIA MILITAR Servane Guittier Antoine Manceau


Espreitar Todos - Diários

(c) António Jorge Gonçalves

 

Sarah Adamopoulos e Céu Guarda vão acompanhar o Festival TODOS pela primeira vez e produzir um diário escrito e fotográfico entre os dias 9 e 12 de Setembro. A abordagem será autoral e pretende documentar, numa perspectiva distanciada e assumindo escolhas, momentos significantes da edição de 2016 da Caminhada de Culturas.

 

Céu Guarda (n. 1960) estudou Fotografia na AR.CO e Pintura na Faculdade de Belas-Artes de Lisboa, onde também desenvolveu projectos em vídeo. Começou a trabalhar na imprensa escrita por acaso, primeiro como ilustradora, depois como fotógrafa, e mais tarde como editora de Fotografia. Colaborou com várias publicações portuguesas e estrangeiras. Foi fotógrafa do quadro do jornal O Independente e editora de Fotografia do jornal i, de cuja equipa fundadora fez parte. Desenvolveu projectos expositivos e editoriais com outros fotógrafos e artistas. Foi co-fundadora da Kameraphoto e da KGaleria, um projecto colectivo em que trabalhou durante mais de uma década. Expõe regularmente dentro e fora do País e está representada em várias colecções. Participa em conferências desde 2003. Actualmente é fotógrafa independente, faz pesquisa fotográfica documental e ensina Fotografia.

 

Sarah Adamopoulos (n. 1964) é escritora, tradutora e jornalista profissional. Estudou Literatura de Língua inglesa em França. Foi redactora de O Independente e colaborou, entre várias outras, com as revistas de fim-de-semana dos jornais Diário de Notícias, Jornal de Notícias, Público e Expresso. Foi cronista da revista PAIS&Filhos e publicou dois livros em que compilou essas crónicas, entre os quais Quando eles eram pequeninos (2008), sobre a infância dos portugueses nascidos no século XX. Publicou Fado menor (ficção, 2005) e Voltar – memória do colonialismo e da descolonização (investigação historiográfica, 2012), entre outros. Traduziu o primeiro grande estudo económico sobre a desigualdade no Mundo publicado no século XXI (O capital no século XXI, de Thomas Piketty, 2014). Trabalhou com Joaquim Benite nas edições da Companhia de Teatro de Almada. Tem sempre peças de teatro e poemas na cabeça.

Publicado por Festival TODOS às 05-09-2016 19:18

Labels: Sarah Adamopoulos Céu Guarda António Jorge Gonçalves (ilustração)


Bobines é para maiores de 8 anos

Vimos por este meio informar que o espetáculo BOBINES, que se realiza nos dias 9, 10 e 11 de Setembro, é para Maiores de 8 anos, e não para Maiores de 3 anos, como, por lapso, foi anunciado. As nossas desculpas por qualquer incómodo causado.

Publicado por Festival TODOS às 05-09-2016 18:21

Labels: Bobines L’Attraction Céleste Novo Circo Teatro Musical Clownesque ACADEMIA MILITAR


Arquivo

2018

Ago

2017

2016

2015

© Todos. 2018 Todos os Direitos Reservados